Uma carreira brilhante marcada por seu talento seja no teatro, no cinema ou na televisão.

Ator, autor, diretor e professor de teatro, Marco Miranda escreveu livros,
peças de teatro, crônicas, artigos e contos. É mais conhecido por sua atuação
em novelas da TV Globo “Chocolate com Pimenta”, “A Próxima Vítima”, “Mulheres
de Areia”, “A Indomada”, “Salvador da Pátria”, “Sassaricando”, entre
outras. No teatro, fez “Piaf”, “Capitães de Areia”, “A Estrela Dalva”, “O Rei
Lear”, “Mãe coragem”, “Rio de Cabo a Rabo” e outras. Teve presença marcante
no cinema nos filmes “O Beijo no Asfalto” e “Um tango para Alice”. Atualmente,
dirige “Em nome do filho” – comédia dramática de Dolores DelRio, uma produção
de Guilherme Oliveira que traz no elenco oito atores/dançarinos. A peça
está em cartaz no Centro Cultural Dejair Cardoso, no Centro.

Como foi o início da sua carreira?

Desde criança, via filmes e TV e pensava “Quero viver isso”. Eu não tinha ideia, naqueles anos, que aquilo que eu via se constituía em uma profissão. Tão logo percebi isto, disse para mim mesmo: “É o que eu quero fazer na vida”. A partir daí, comecei a participar de grupos de teatro e montagens amadoras até chegar a Escola de Teatro Martins Pena. Depois fiz licenciatura em artes Cênicas na UNIRIO e segui fazendo cursos de aperfeiçoamento, sempre na área da Arte.

Quando surgiu o convite para dirigir o espetáculo “EM NOME DO FILHO”?

Dolores DelRio, autor de “EM NOME DO FILHO”, é meu amigo há vários anos. Fomos contemporâneos na escola de Teatro e trabalhamos juntos em vários projetos. Quando ele terminou de escrever a peça, me convidou, e a vários amigos, para fazer uma leitura da mesma. A partir daí, o convite foi uma consequência natural. Dolores DelRio é um autor sagaz e vai fundo em algumas questões abordadas por seus textos. Estamos, neste momento, trabalhando em mais um deles chamado “DA PÁ VIRADA”, um verdadeiro desafio para mim dirigi-lo, cuja estreia está prevista para janeiro de 2018.

O espetáculo foi muito bem recebido pelo público em todas as temporadas. A que atribui o sucesso?

EM NOME DO FILHO é um sucesso inegável – está há um ano e meio em cartaz sem nenhum patrocínio. Já fizemos temporada em vários espaços da cidade. Acabamos de sair do Teatro Rival e, no momento, estamos no Centro Cultural DeJair Cardoso e em negociações para uma turnê no interior e na capital de São Paulo. A peça fala sobre a diversidade sexual colocando uma luz sobre esse tema tão importante. Tudo de forma divertida e leve. Claro que sem deixar de tocar em pontos importantes desta questão. É fundamental assistir espetáculos dos mais diferentes temas. “EM NOME DO FILHO”, sem dúvida, é um deles. 

Você acha que esta montagem promove mais compreensão em relação ao preconceito?

Preconceito é, a meu ver, falta de informação. Por este motivo, é importante falar dos mais diversos assuntos, mostrar que a diversidade humana é enorme, em todos os segmentos e áreas. Quanto mais se fala, se mostra, mais humanizamos as questões e, consequentemente, tornando- as claras, colaboramos para a sua compreensão. Dignidade e respeito ao outro são elementos chaves nas relações humanas e discutí-las é fundamental.

Como está o momento artístico de Marco Miranda?

Estou em um momento particularmente pródigo com duas peças em cartaz sob minha direção: “Em nome do filho” e “Não Me deixe só” de Ester Delamare no Teatro Vannucci – em final de temporada, mas que esperamos que continue em cartaz. Em “Não Me deixe só” – Ester Delamare, a autora, traz à tona um tema importantíssimo: a peça fala das mulheres que amam demais, sobre a codependencia afetiva. Estou também finalizando a direção do longa metragem Rio e seus mistérios – que tem roteiro incrível de Rayssa de Castro Lima. O filme mostra o lado sombrio da bela cidade do Rio de janeiro. Vou dirigir as peças: LA BAMBA, de Rayssa de Castro Lima, e o musical O MUNDO É SEU, um belíssimo trabalho escrito por Wanderley Mello, com direção musical de Marcello Moreno e Paulo Rocco. E me preparando para voltar, ainda em 2018, como ator. Vamos aguardar.

O que você acha do trabalho da Star Palco?

A Star Palco faz um trabalho fundamental e importantíssimo: possibilitar o acesso do público ao teatro. Para que a arte aconteça e cumpra com seu papel, é necessário uma sucessão de ações que possam se conectar e estabelecer elos. Um dos elos mais fundamentais é exatamente o que desempenha a Star Palco, aliás muito bem: pavimentar o caminho para que o público encontre o teatro.